segunda-feira, 12 de novembro de 2007

O Filme The Bubble





Por Liliam Freitas




The Bubble

não é mais um filme dentre outros, é o filme. Também não é mais um filme homossexual ou que versa sobre relacionamento gay, é para além disso. Com direção de Eytan Fox que divide o roteiro com Gal Uchovsky nasce The Bubble: filme sério, tocante, inteligente e humano que a partir do romance entre um israelense e um palestino trata de questões políticas como a briga histórica entre Israel e Palestina, Terrorismo e o sofrimento do homem diante dessa “guerra estúpida”. Tudo isso sem ser chato!

Noam, um israelense que trabalha numa loja de discos e mora num apartamento em Tel Aviv com dois amigos: Yelli, gerente de um café e Lulu, vendedora de cosméticos. E todos levam suas vidas sem muitas preocupações com os problemas políticos. Isso até o palestino, Ashraf, entrar na história , e serem afetados pela “política de guerra”.


A vida de Noam e Ashraf se cruzam na fronteira de fiscalização, um cenário totalmente adverso e inóspito à vida e à humanidade, mas não ao amor. Esse deve ser o recado de Eytan Fox. Ashraf acha os documentos de Noam, com esse pretexto ele vai à Tel Aviv entregá-los junto com seu coração ao israelense.

O amor é realmente lindo, o filme mostra isso, entre os amigos (Noam, Lulu e Yelli) e o palestino e o israelense, pena que a realidade não seja assim: o terrorismo, a ignorância e a guerra são muitos feios e maus. Por isso o gênero do filme é drama!

Os conflitos entre as duas nações tornam-se obstáculos ao amor de Noam que mora em Israel onde a diversidade sexual é aceita, diferente da Palestina. Com isso Ashraf não pode morar em Tel Aviv, não é seguro ao mesmo tempo que não podem viver na cidade de Ashraf. Para onde vai então esse amor? Ver o filme, confiem na genialidade de Eytan Fox.

O filme também brinda aos telespectadores com uma trilha sonora rica, bela, enfim, perfeita. O fato de Noam trabalhar numa loja de dsicos, ou de música, é bem aproveitado, com direito a música brasileira. Parabéns para Ivri Lider que assume a direção musical de The Bubble.

Assistam ao filme The Bubble quem ainda não o fez! Faz bem o encontro com a Sétima Arte.

Ficha Técnica

Título Original: Ha-Buah
Gênero: Drama
Tempo de Duração: 90 minutos
Ano de Lançamento (Israel): 2006
Site Oficial: www.thebubble.msn.co.il
Estúdio: Metro Productions / Uchovsky Fox
Distribuição: Imovision
Direção: Eytan Fox Roteiro: Gal Uchovsky e Eytan Fox
Produção: Ronen Ben Tal, Amir Feingold e Gal Uchovsky
Música: Ivri Lider Fotografia: Yaron Scharf
Desenho de Produção: Nahumi Loz
Direção de Arte: Ido Dolev
Figurino: Oren Dar
Edição: Yosef Grunfeld e Yaniv Raiz


Elenco

Ohad Knoller (Noam) Alon Friedman (Yelli) Daniela Virtzer (Lulu) Yousef "Joe" Sweid (Ashraf)
Miki Kam (Mãe de Lulu)
Shredi Jabarin (Gihad)
Lior Ashkenazi (Lior Ashkenazi)
Tzion Baruch (Shaul)
Oded Leopold (Sharon)
Zohar Liba (Golan)
Yael Zafrir (Orna)
Noa Barkai (Ella)
Yotam Ishay (Chiki)
Avital Barak (Dana)


5 comentários:

daniel_slz disse...

Eu que já assisti a esse filme imperdível, posso falar que minha cara amiga Lilian expressou magistralmente tudo que o filme quer passar pra gente, de uma realidade distante geograficamente, contudo próxima, pois o amor é universal.
Lilian você me arrepiou mais uma vez!!!
beijão pra ti do teu fã número 1. obrigado por me brindar com sua genialidade!!!

Liliam Freitas, a espera de Sandra Viana e Vimerson Coutinho para escrever nesse blog disse...

Você Daniel sempre lindo, sempre educado,aprendo sempre com você.A casa é nossa, que bom que gostou! Foi um desafio escrever sobre o filme, um desafio delicioso

Alan (Kenow)disse...

Emocionante!!
Concordo com o Daniel, muito bem expressado Liliam;

Nós faz pensar e ver que aqui mesmo na nossa sóciedade vivemos a mesma situação, onde muitas vezes não podemos expressar nossos sentimentos.
"Hobi meu amor... vamos voar longe. Talvez além da fumaça e da batalha haja um lugar melhor."

Mais não estamos sozinhos. Temos pessoas amigas e essas, nos fazem felizes.
"Lulu e Yali provavelmente darão aos jornais uma foto de nós dois. Talvez a da rave, onde todos parecemos bem felizes".

Alan (kenow)disse...

Mais uma sitação q tenho gosto de publicar:
“Por que é que, culturalmente, nós nos sentimos mais confortáveis vendo dois homens segurando armas do que dando as mãos?”
Ernest Gaines

Bjos Liliam

Liliam Freitas, a espera de Sandra Viana e Vimerson Coutinho para escrever nesse blog disse...

Alan, obrigada por ter vindo aqui, ter lindo e ter se expressado, muito obrigada mesmo, fico feliz, o espaço é nosso! Feliz ano novo a todos e todas

Postar um comentário

Fiquem a vontade. Para nós que fazemos o pontoinicial seu comentário é importante, tipo assim: importantão.Levantamos a tese, questionamos e esperamos que as pessoas leiam, entendam, gostem e se posicionem. Assim, melhoramos a escrita e a forma de abordagem. texto